Tomando Banho com Meu Filho

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit
  • Fetiche: Tomando banho com o filho;

  • Personagem: Deise Mãe e Filho;

  • Características Mãe

    • 43 anos,

    • Viúva,

    • Branca,

    • 1, 70 metros,

    • Olhos Castanhos Claros

    • Cabelos Castanhos Claros,

    • 67 Kg;

  • Características Filho

    • 23 Anos,

    • Moreno de sol,

    • 1, 75 Metros,

    • 80 Kg;

Me chamo Deise e meu filho Luis, Tenho 43 anos , viúva , branca 1,70, olhos e cabelos castanhos claros e 67 kg, já meu filho tem 23 anos, moreno de sol, 1,75, 80 kg.
Desde cedo, acostumamos tomar banho juntos, morávamos numa casa onde havia uma banheira, e sempre íamos ao banho juntos, onde sentávamos na banheira e nos banhava.

Eu dava banho nele, e deixava que ele também me esfregasse, brincávamos na água por um bom tempo, principalmente no verão.

Nessa época, como era criança e isso foi até ele completar seus 11 anos, eu o deixava matar a curiosidade, onde ele tocava meus seios , minha vagina, mas nada com erotismo, era curiosidade mesmo.

Eu costumava sentar encostada na ponta da banheira, e Luis sentava de costas para mim, encostado em mim, entre minhas pernas, eu lavava suas costas, braços, o abraçava e lavava seu peito e pernas, ele sempre queria fazer o mesmo comigo , então repetíamos esse ritual e ele lavava minhas costas , braços, ele era pequeno e tentava repetir o abraço e não conseguia .

Depois ficávamos frente a frente onde eu o lavava de frente e ele repetia comigo.
Após, ele ficava de joelhos e eu lavava seu piu piu, e ele fazia o mesmo comigo, lavando minha menina, eu nada sentia, era uma criança e depois pré-adolescente, e ele também, somente uma vez quando lavava seu piu piu ficou durinho e ele se envergonhou na hora dizendo que não sabia por que tinha acontecido. Expliquei-lhe que era normal, e ao mesmo tempo continuei a lavar, e que não devia se envergonhar, pois estava virando homem etc.

Pelo destino, fomos obrigados a nos mudar, e onde fomos não havia banheira e o banheiro em si, era muito pequeno, onde tomamos banho juntos só umas três vezes, por falta de espaço.

O tempo passou, e esquecemos esses tempos.

Há poucos meses, conseguimos fazer uma viagem de férias juntos e fomos para o nordeste , passaríamos alguns dias em um belo hotel, e descansaríamos pois a muitos anos não tirávamos férias juntos.

Chegamos ao hotel num sábado no final da tarde, pegamos a chave de nosso quarto, que era um quarto normal para duas pessoas e com camas de solteiros, jamais passou por nossas cabeças acontecer qualquer coisa que fosse.
Entramos no quarto e demos uma olhada geral, e, quando vimos o banheiro, uma banheira, e bem grande, instintivamente chamei meu filho que veio correndo , lhe mostrei e disse..

– Luis , olha, uma banheira, que legal…

Ele sorriu, e falou..

– Mãe , você se lembra da nossa banheira?

– Sim, me lembro sim, e você? Lembra-se dos banhos que tomávamos juntos?

– Sim mãe, eu adorava. – Eu também filho, pena que não pudemos mais…
– É verdade, dá saudade às vezes.

Nada mais falamos, saímos, arrumamos nossas coisas, cada um tomou seu banho, trocamos de roupa e fomos passear.

Na praia, tomamos água de coco com vodca, comemos alguns petiscos e tal.
Um calor insuportável, estávamos suando quando voltamos para o hotel , entramos no quarto e fomos direto ao frigobar, cerveja bem gelada, que delicia, tomamos e começamos a discutir quem ia tomar banho primeiro, ambos queriam se refrescar primeiro pelo calor e suor.

Estávamos em meio à discussão , dizendo -Eu vou… – Não sou eu…, e num instinto sem pensar direito sugeri, então porque não vamos juntos, como nos velhos tempos? Tem uma banheira, e bem espaçosa…

– Mãe, você tá louca?

– Ué? O que que tem? Já tomamos muitos banhos juntos, não lembra?

– É verdade, mas tem certeza?

– Sim , vamos fazer igual o que fazíamos….

Peguei-o pelo braço sem pensar e puxei para o banheiro, liguei o registro enchendo a banheira e começando a me despir.

Percebi-o sem jeito, mas começou a se despir também.

Já estava nua entrando na banheira, quando ele tirou a cueca, ai caiu minha ficha , não era mais um garotinho.

Já era um homem feito, não era mais um garotinho, seu pênis bem grosso e grande apesar de flácido, bastante pelos pubianos, pernas peludas, sim , era um homem que estava nú comigo.

Senti-me muito envergonhada, mas agora nada podia fazer, entrei na banheira e me sentei encostada na lateral.

Luis entrou e se sentou de costas para mim, como fazíamos, estávamos agora , ambos encabulados , somos adultos, homem e mulher…

Fiquei nervosa com a situação que eu mesma criei, aos poucos fui lavando suas costas, lavei seus braços, e ele pediu

– Mãe, vamos fazer igualzinho ?
-Sim, porque não?

Tentei abraçá-lo, mas já é adulto, não consegui , me levantei um pouco para abraçá-lo e meu seio tocou em suas costas, imediatamente meu bico endureceu, percebi que ele se arrepiou, mas abracei como nos velhos tempos, lavei em seguida seu peito, e ele já foi se virando, como fazia antigamente.

Procurei nem olhar , e ele se sentou encostado na banheira e me sentei agora de costas para ele, o que de certa forma foi um alivio para mim, pelo menos até perceber seu pau duro, tocando minhas costas, não tive coragem de falar nada e ali fiquei.

Luis lavou minhas costas, meus braços, me abraçou, e começou a lavar meus peitos e barriga.

Meus bicos estavam pra lá de rígidos, e, ele lavava e acariciava, comecei a ficar muito excitada e ao mesmo tempo seu pau duro encostava nas minhas costas.
Agora era vez de virarmos de frente, tomei coragem e me virei, ficamos frente a frente, olhos nos olhos, ele corou, em seguida eu também.
Fiz sinal para ele ficar de joelhos, ele relutou, bem sei por que, mas enfim ficou de joelhos, a pica dele veio direto contra mim, dura, grossa, grande, toda rosada, cabeçuda.

Fechei os olhos, e comecei a lavar seu pau, adulto, um homem…. ainnnnn minha buceta já tinha melado de vez, a muitos anos não tinha uma rola na buceta….. hummmmm

Massageava sua rola, ensaboando lentamente, lavei seu saco com cuidado, ele soltava suspiros…

Fez-me levantar, fiquei de frente para ele, agora sem cerimônia começou a lavar minha buceta, minha barriga, minha bunda….. Voltou para minha buceta e passava os dedos entre os lábios, me penetrou com um dedo, soltei um gemido….
Levantou-se , e ficou de frente para mim, ambos de joelhos, frente a frente, olhos nos olhos, corpos bem próximos um do outro. Seu rosto próximo ao meu, seu pau próximo a minha buceta , sem nada dizer, me beijou ardentemente, correspondi ao beijo….

Uma mão acariciava meu seio esquerdo, cujo bico estava rígido, a outra, procurava a entrada da minha buceta, e acariciava meu clitóris com muito carinho e tesão….
Minha mão procurou seu pau, e agora punhetava e explorava com os dedos…..
Rapidamente, tiramos o resto do sabão do corpo, saímos e fomos para uma das camas, onde ele me jogou deitada e praticamente pulou em cima, continuamos a nos beijar loucamente…

Sua mão em minha buceta, já melada e pronta para receber o premio máximo de sua rola, eu o punhetava com gosto, uma pica muito gostosa, muito dura, grossa, quente, mas ao mesmo tempo a pele dava uma maciez especial….
Ele foi beijando meu pescoço, ( o que me deixou mais doida) , desceu, explorou minha barriga com a língua, desceu mais e encontrou minha buceta já muito melada, e foi assim chupando todo meu néctar. Chupava meu grelo, ia pra minha entradinha, lambia meu mel e ia até meu cuzinho, onde explorava com a língua e voltava para a buceta.

Não aguentei e lancei um gozo muito extremo, que a muito não sentia.Minhas pernas tremiam muito, ele se levantou e veio com aquela rola na minha direção.
Entendi o recado, e me pus a chupar aquele pau maravilhoso que logo ia fuder minha buceta,chupava a cabeça com vontade, tentando por todo na boca, mas sem sucesso pelo tamanho, punhetava ao mesmo tempo, sentia seu líquido transparente na minha boca, uma delícia, suas veias pulsavam e eu sentia o pulsar em minha boca….

Mais uma vez me jogou na cama, de frente para ele, pude ver seu pau duro , apontando para cima, abri minhas pernas , e ele veio, deus umas roçadinhas, esfregando a cabeça do pau na portinha, e foi gostosamente penetrando.
Senti cada centímetro daquela rola me invadindo, e só parando lá no fundo da buceta.

Aos poucos foi movimentando, num vai e vem gostoso e cada vez mais frenético, me fudendo como uma vadia, repetiu a dose de quatro, de ladinho e por fim eu numa cavalgada maravilhosa, onde recebi seu leitinho em minha buceta, gozei junto com meu bebe, que agora já era um homem, ( e que Homem ).
Caímos lado a lado e dormimos, acordamos e repetimos a foda maravilhosa.
De madrugada acordamos, ainda nus , onde fiz questão de chupar seu pau, e receber seu leite em minha boca.

Nos dias que se seguiram, me fodeu de todos os jeitos possíveis inclusive num anal maravilhoso.

E, temos repetido os banhos de lá pra cá sempre que possível.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Humano? * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.